Header Ads

Covid: Com 1.452 mortes em 24 h, país tem o dia com mais óbitos do ano

A média móvel de mortes por covid-19, que registra as oscilações dos últimos sete dias e elimina distorções entre um número alto de meio de semana e baixo de fim de semana, ficou em 1.073 nesta quinta-feira, 11. Nas últimas 24 horas foram registrados 1.452 novos óbitos, sendo o maior balanço diário desde julho, segundo o consórcio de veículos de imprensa.

No total são 236.397 mortes registradas e 9.716.298 pessoas contaminadas no Brasil, segundo o balanço mais recente do consórcio formado por Estadão, G1, O Globo, Extra, Folha e UOL em parceria com 27 secretarias estaduais de Saúde. Os dados foram divulgados às 20h.

O Estado de São Paulo, epicentro da doença no País, chegou a 55.742 mortes e 1.889.969 casos confirmados. Entre o total de casos diagnosticados, 1.643.685 pessoas estão recuperadas. As taxas de ocupação dos leitos de UTI são de 65,6% na Grande São Paulo e 66,7% no Estado. O número de pacientes internados é de 12.619, sendo 6.761 em enfermaria e 5.858 em unidades de terapia intensiva.

Nesta quinta-feira, o Ministério da Saúde informou que foram registrados 54.742 novos casos e mais 1.351 mortes pela covid-19 nas últimas 24 horas. No total, segundo a pasta, são 9.713.909 pessoas infectadas e 236.201 óbitos. Os números são diferentes do compilado pelo consórcio de veículos de imprensa principalmente por causa do horário de coleta dos dados.

Covid: Com 1.452 mortes em 24 h, país tem o dia com mais óbitos do ano

O Brasil é o segundo país com maior número de mortes por coronavírus no mundo, atrás apenas dos Estados Unidos, e o terceiro em casos, abaixo dos EUA e da Índia.

Durante audiência no Senado, Pazuello disse que as perspectivas de queda que chegaram a ser vistas nos índices da pandemia no segundo semestre do ano passado foram quebradas por números "inacreditáveis" nos últimos três meses.

"No segundo semestre de 2020 nós víamos uma estabilidade clara de queda de contágios e óbitos no nosso país, principalmente na região Norte, na região Sudeste e Sul —que começou mais tarde, estava numa segunda onda de queda também", afirmou o ministro.



"Essa ideia foi quebrada. Nos últimos 90 dias, números inacreditáveis de casos e mortes mundo afora", acrescentou.

Estado brasileiro mais afetado pela doença, São Paulo atingiu nesta quinta as marcas de 1.889.969 casos e 55.742 mortes.

Minas Gerais é o segundo Estado com maior número de infecções pelo coronavírus, com 793.157 casos, mas o Rio de Janeiro é o segundo com mais óbitos contabilizados, com 31.134 mortes.

O ministério ainda reporta 8.643.693 pessoas recuperadas da Covid-19 e 834.015 pacientes em acompanhamento no país.
Tecnologia do Blogger.
google-site-verification: google2b0840f1e7609044.html