Header Ads

Acusada de mandar matar jovens que cavaram a própria cova chega a Timon

A acusada de mandar torturar e assassinar as adolescentes Maria Eduarda de Sousa Lira, de 17 anos e Joyce Ellen dos Santos Moreira, de 15 anos, em Timon, no Maranhão, desembarcou na tarde desta quarta-feira (12), no Aeroporto de Teresina Senador Petrônio Portella, para se apresentar no Departamento de Homicídio e Proteção à Pessoa (DHPP) de Timon. Todo um esquema de segurança foi montado na unidade para evitar represálias contra a mesma.

A investigada, identificada apenas pelas iniciais E.L.S.S, foi presa no final do mês passado, na cidade de Carlos Barbosa, no Estado do Rio Grande do Sul. O crime que repercutiu no país, pelos requintes de crueldades, aconteceu no dia 21 de março deste ano. As imagens do crime, onde mostram as jovens cavando a própria cova antes de serem executadas, viralizaram nas redes sociais.

Suspeita de ser mandante do crime contra as adolescentes foi presa no RS (Foto: Divulgação/ Polícia Civil)

Segundo a Polícia Civil de Timon, a suspeita é integrante do núcleo feminino de uma facção criminosa. A prisão foi realizada por meio de uma parceria da Polícia Civil dos estados do Maranhão, Pará e Rio Grande do Sul, que deu início após informações constatarem que a suspeita havia fugido para Belém, ao saber que estava sendo investigada.

Dirante disso, a Polícia Civil de Timon alertou os policiais de Belém, que iniciaram diligências na cidade paraense e encontraram familiares de E.L.S.S, que informaram que a suspeita teria se mudado para a região Sul do país. Ela prestará depoimento no DHPP aos delegados Antônio Valente e Veloso.

Jovens foram obrigadas a cavar a própria cova antes de serem mortas (Foto: Reprodução/ Redes Sociais)

Relembre o caso

Na manhã de domingo, 21 de março, populares encontraram os corpos de duas jovens enterradas dentro de uma cova rasa em um morro no bairro Parque Aliança, na cidade de Timon. As adolescentes foram identificadas como Joyce Ellen, de 16 anos e Maria Eduarda, de 17 anos. Antes de serem assassinadas, as menores foram obrigadas a cavarem a própria sepultura.

Segundo testemunhas, as duas foram mortas por espancamento e a tiros e estavam enterradas na mesma cova. Profissionais do Corpo de Bombeiros e policiais militares desenterraram as adolescentes.

O pai de uma das jovens registrou um boletim de ocorrência alegando o sumiço da filha por volta de 10h da manhã. A polícia confirmou que uma delas morava na Vila da Paz, na zona Sul de Teresina, e a outra no bairro Risoleta Neves, na zona Norte.

As duas jovens foram vistas pela última vez na noite de sábado (20). Os assassinos fotografaram Maria Eduarda e Joyce Ellen ainda vivas, em pé, dentro da sepultura fazendo o número quatro com os dedos.

Fonte: Meio Norte 
Tecnologia do Blogger.
google-site-verification: google2b0840f1e7609044.html