Bebê vive há quatro meses em UTI e mãe faz apelo para cirurgia que é fora do Piauí

A filha de Rayane Gonçalves, a bebê Marya Cleiane, vive há quatro meses na UTI neonatal da Maternidade Wall Ferraz. Marya possui uma doença congênita no coração e precisa de uma cirurgia que não é realizada no Piauí.

“Ela ficava muito sonolenta, com as mãos e os pés gelados, não pegava direito no peito para mamar e então teve um dia que ela ficou muito dificultosa para respirar e eles botaram oxigênio e depois disseram que ela ia ter que ser transferida para um UTI para ser entubada porque ela não conseguia mais respirar sozinha”, explica Rayane Gonçalves.

Desde os primeiros quatro dias de vida no hospital, a criança já foi transferida para o Hospital de Urgência de Teresina (HUT) para realizar uma angiotomografia. Durante esse período, Marya Cleiane já pegou pneumonia duas vezes.

Para realizar o procedimento, uma cirurgia cardíaca de correção da estenose aórtica, a família deu entrada no Programa Tratamento Fora do Domicílio (TFD), do governo do Estado no dia 06 de maio. No mês de julho, surgiu uma oportunidade de transferência para a realização da cirurgia em Recife, estado de Pernambuco, porém a bebê estava fazendo uso de antibióticos.

A Secretária de Estado da Saúde do Piauí (Sesapi) explicou em nota que atualmente estão sendo aguardados consultas por videoconferência com os médicos do Hospital do Coração (HCor) em São Paulo, para a avaliação do quadro clínico de Marya.

“É uma corrida contra o tempo para ela ser transferida o quanto antes porque ela está em um momento bom para ser transferida, está estável, está saturando bem, ela está no momento para fazer a cirurgia dela”, ressalta a mãe.

Fonte: Cidade verde
Tecnologia do Blogger.
google-site-verification: google2b0840f1e7609044.html