Header Ads

Covid-19: Piauí não tem registro de mortes por novas cepas

O Piauí ainda não registrou, oficialmente, nenhum caso de óbito com novas variantes do novo coronavírus. Mas de acordo com informações colhidas junto à Secretaria de Estado da Saúde (Sesapi), isso não significa que as novas cepas não estejam em circulação. Os cuidados de higiene e distanciamento precisam ser mantidos para conter a disseminação da doença, que matou 754 pessoas somente durante o mês de março.

As autoridades de saúde tiveram uma videoconferência nesta segunda-feira (31) para debater o temar. “Meu posicionamento é que o Piauí não tem registro. Nós sempre enviamos amostras dos pacientes, mas até o momento não foi notificado nada neste sentido. O que nós sabemos, até agora, é daquele caso do paciente que veio de Manaus com a cepa P.1, que estava no Hospital Universitário. Mas só soubemos quando ele já havia recebido alta e ido embora. Fora isso, desconheço a informação e não há evidência. Mas são várias cepas que podem estar circulando”, alerta Amélia Costa, coordenadora estadual de epidemiologia e do Centro de Informações Estratégicas de Vigilância em Saúde (CIEVS).

Crédito: Andrea Piacquadio/Pexels.

O Piauí caminha para alcançar a China, que desde o início da pandemia registrou 4.636 mortes. Ao todo 4.066 pessoas morreram no Estado vítimas da doença, desde o início dos óbitos em março do ano passado. "Estamos com aumento de casos. Todo dia nós temos um acréscimo nos casos. Além do aumento frequente do número de óbitos. Como é uma doença nova, ficamos com muitas dúvidas. A doença tem pouco tempo, então há uma certa insegurança para os profissionais e a população sobre o futuro”, acrescenta Amélia Costa.

A cepa P.1 já foi identificada no Ceará e em outros Estados. “Ela tem um processo de transmissibilidade muito grande, além de apresentar uma alta letalidade. Ela contribui muito no processo de infecção e está havendo uma transferência de óbitos para outras faixas etárias. A gente fica preocupado. As faixas etárias mais jovens estão sendo mais afetadas, com muitos óbitos de pessoas até 30 anos. Saltamos para uma média de mortes de mais de 30 pessoas por dia nos últimos dias. Nossa taxa de letalidade é 2,5%, mas é uma preocupação. A gente acredita que a cepa esteja, sim, circulando, embora não haja uma evidência concreta", revela a coordenadora de epidemiologia.
Tecnologia do Blogger.
google-site-verification: google2b0840f1e7609044.html