Header Ads

Vereadores de Barras anulam aumento, sobrou bronca até para a imprensa local

Os vereadores de Barras, em sessão da última segunda-feira (17) anularam porunanimidade o Projeto de Resolução que concedia aumento de salários de vereadores, prefeito, vice e secretários municipais, válido para 2021 e após a pandemia do novo Coronavirus. Lembrando que a mesma Resolução tinha sido aprovado na sessão anterior por 10 votos a favor e 2 contra.


A repercussão negativa, na chamada grande imprensa da capital do Piauí, transformou a vida dos parlamentares barrenses em um verdadeiro "inferno" da noite para o dia. A população usou as redes sociais para pressionar os vereadores a anularem o Projeto de Resolução, o que acabou acontecendo na sessão desta segunda-feira (17).

Na mesma sessão, os vereadores
concluíram, quase por unanimidade, que o
caso da votação do aumento de salários de vereadores, prefeito, vice e secretários foi usado politicamente por um vereador da
casa. Veja os motivos que levaram os vereadores a crê nessa teoria:

Todos os vereadores sabiam que o aumento não era para ser imediato, mas para 2022 ou após a crise da pandemia, tendo em vista que existe uma lei federal que proíbe o aumento de salários nesta época;

Todos os vereadores sabiam que é praxe se votar o aumento no final dos quatros anos, já que esses entes públicos só têm aumento quadrimensalmente. Jornalistas da imprensa estadual já se
manifestavam nas redes sociais anos após a votação com informações incompletas.

A sessão foi na segunda à noite, e na terça de manhã já tinha equipes de televisão em
Barras para fazer a matéria;

A presidente da Câmara, Emília Costa, não foi procurada para dar esclarecimentos sobre o caso. Ou seja, a versão dos vereadores não foi citada.

SOBROU ATÉ PARA IMPRENSA LOCAL

A procura dos culpados, sobrou até para a imprensa local que foi acusada de maneira geral de ser sensacionalista. Uma vereadora usou a palavra e disse "Esses Portais"... os donos desses portais deveriam era se candidatar". A fala da vereadora revoltou parte da imprensa local, que apenas cumpriu com o dever de publicar o ato da câmara de vereadores.

NÃO EXERCERAM O DIREITO DE RESPOSTA

Mesmo sendo divulgado de maneira errada por alguns veículos de comunicação, a
câmara e nenhum vereador exerceu o direito de resposta.


Fonte: portal Visão Piauí 

Tecnologia do Blogger.
google-site-verification: google2b0840f1e7609044.html